Blog do Cereja


Sunday, 9 de May de 2021 Rss
02 Jun

Leitura em papel ou leitura nas telas?

Leitura em papel ou leitura nas telas?

Muito se tem discutido sobre as práticas de leitura dos dias de hoje, já que uma parte dos leitores tem preferido a leitura de livros em papel e outra tem preferido a leitura em telas de computadores, tablets e outros suportes eletrônicos.
Alguns estudiosos insistem em afirmar que a leitura em telas tende a ser mais dispersiva e menos profunda, já que, por conta do excesso de informação que está no entorno do texto central em forma de links, o leitor tende a se concentrar pouco.

Crédito: Thinkstock/ Getty Images

Crédito: Thinkstock/ Getty Images

Contudo, estudos recentes mostram o contrário. Para leitores que, desde cedo, se habituaram a ler em diferentes suportes ― a lousa, na sala de aula, o livro didático e o caderno escolar, a revista em quadrinhos, o computador do pai e o tablet da mãe, o próprio smartphone, etc. ―, tudo são possibilidades de leitura cujo envolvimento depende diretamente da adequação do texto ao leitor e do grau de interesse que ele tem pelo tema.

Fatores como idade do leitor, gênero textual, tema, situações sociais que motivaram a leitura e outros podem ter um peso maior no sucesso da leitura do que propriamente o tipo de suporte em questão.

Para crianças de hoje, a leitura de um conto como Chapeuzinho Vermelho, numa bela edição ilustrada em livro em papel, pode ser uma experiência tão cativante ou até mais cativante do que a leitura de um e-book, com animações, música, narração, joguinhos e outras formas de interação. Na verdade, são experiências diferentes de leitura, e a criança seguramente gostaria de vivenciar as duas, em momentos e contextos diferentes.

Particularmente, acredito que o livro impresso não vai acabar, como preveem alguns. Da mesma forma que, com a chegada da televisão, se previa o fim do cinema, o que não aconteceu, a introdução dos computadores e dos meios eletrônicos também não vai pôr fim ao livro impresso. Esses suportes passarão a conviver naturalmente, e os novos leitores estarão cada vez mais preparados para lidar com eles nas diferentes situações sociais.

Aos pais e educadores de hoje, creio que cabe uma postura de equilíbrio: não negar nem estimular exageradamente apenas um desses suportes. Ao contrário, devemos criar oportunidades para que a criança vivencie todas essas múltiplas possibilidades de linguagens e mídias.

Abaixo, indicamos links de dois vídeos que mostram como a criança se relaciona com os dois tipos de suporte e como ela se interessa igualmente pelas diferentes práticas sociais de leitura. Seja no papel, seja no tablet, a leitura para ela é sempre um ato de prazer e descoberta.

http://www.youtube.com/watch?v=tsBX–j_bBI


http://www.youtube.com/watch?v=1aC56WKv6_0

Deixe o seu comentário

Seu email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *