Blog do Cereja


Wednesday, 27 de October de 2021 Rss
26 Apr

A coleção Português: linguagens é aprovada no PNLD 2017

A coleção Português: linguagens é aprovada no PNLD 2017

PL6

É com muita alegria que recebi na segunda-feira, dia 18, a notícia de que, mais uma vez, a coleção Português: linguagens foi aprovada pelo MEC na avaliação oficial do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático) 2017.  Aliás, desde que esse programa foi criado, em nenhuma dessas avaliações nossa obra Português: linguagens (ensino fundamental I, ensino fundamental II e ensino médio) foi reprovada.

Neste ano, a avaliação de Língua Portuguesa foi muito rigorosa: das 20 coleções inscritas, apenas 6 foram aprovadas, o que representa um percentual de cerca de 30%. Foi a disciplina em que houve o maior número de reprovações.

Para nós, a oportunidade de levar nossa proposta de ensino a todas as escolas do país, incluindo as mais distantes dos grandes centros e as mais carentes, é uma satisfação e uma honra muito grande.PL7

Desde sua implantação, em 1997, esse é um dos aspectos positivos do PNLD: permitir que as escolas públicas possam fazer uso dos mesmos materiais didáticos utilizados na rede particular de ensino. 

Outro aspecto importante do programa foi submeter à avaliação os livros didáticos inscritos. Embora muitas vezes haja distorções e até injustiças na avaliação de algumas coleções, o resultado é que, nesses 19 anos de PNLD, a qualidade dos livros didáticos inscritos melhorou bastante.  

PL8Para os autores didáticos, o resultado da avaliação é sempre um momento importante e, às vezes, tenso. Isso porque o modo como o avaliador lê a obra varia muito de programa a programa e de banca a banca. 

A cada programa, uma universidade fica responsável pela avaliação. As diferenças entre a avaliação de uma universidade e de outra são visíveis, por causa da linha teórica de cada uma. Além disso, lendo e comparando a avaliação de uma coleção e de outra coleção, fica evidente que uma dupla de avaliadores de uma coleção foi muito mais rigorosa do que aquela que avaliou outra coleção.

Apesar dessas distorções – resultantes de subjetividade, de concepções teóricas de cada avaliador, de idiossincrasias, ideologias, etc. –, ter o material avaliado por uma equipe qualificada pelo MEC é sempre uma experiência importante para os autores.

PL9Contudo, acredito que o melhor avaliador do material didático é o professor. É ele que sabe avaliar a adequação daquele material para a sua sala de aula e a conformidade dele em relação ao projeto pedagógico da escola. É o professor que pode dar um salto significativo em suas aulas, desde que adote um material didático com excelência na qualidade.

Sugiro aos professores que leiam de fato o Guia de obras aprovadas do MEC, observando os pontos positivos e negativos apontados em cada coleção. E sugiro que também façam sua própria avaliação, baseada nos critérios do MEC ou em critérios próprios, construídos em anos de experiência.

Uma boa escolha pode ser o primeiro passo para uma escola melhor e uma educação melhor. Não devemos deixar passar esta oportunidade.

 

Deixe o seu comentário

Seu email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *