Blog do Cereja


Tuesday, 27 de July de 2021 Rss
15 Sep

A pesquisa sobre os gêneros continua

A pesquisa sobre os gêneros continua

Se, para Bakhtin, todas as atividades humanas estão relacionadas ao uso da língua através de enunciados concretos, e esses enunciados são gêneros do discurso (orais, escritos e multimodais), é natural que os estudos de linguagem aprofundem e diversifiquem, cada vez mais,  os estudos em torno dos gêneros.

O conceito de gênero do discurso é desenvolvido na obra de Bakhtin no texto “Gêneros do discurso”, da obra Questões de literatura e estética, publicada no Brasil em 1992.

Portanto, desde essa data – ou mesmo antes dela, para quem lia Maingueneau ou Todorov, comentadores do conceito de gênero –, os gêneros do discurso já vinham sendo discutidos nos meios acadêmicos, mas foi somente com a publicação dos Parâmetros Curriculares Nacionais, de 1997, que começou a haver maior divulgação do conceito bakhtiniano de gênero entre os professores, já que a proposta de produção textual era articulada em torno dos gêneros do discurso.

De lá para cá, têm sido abundantes as publicações sobre os gêneros, seja para discutir como pode se dar o ensino de gêneros na escola, seja para analisar o aparecimento de novos gêneros no contexto das tecnologias de informação e de comunicação.

Gêneros de texto discurso

O livro Gêneros de texto/discurso e os desafios da contemporaneidade (Pontes), organizado pelas professoras Elvira Lopes do Nascimento (UEL) e Roxane Roxo (UNICAMP), é uma obra que traz novas contribuições aos estudos sobre os gêneros e atende aos interesses dos professores de língua portuguesa, de língua inglesa e de pesquisadores de estudos da linguagem em geral.

Os artigos “Os gêneros discursivos como instrumentos para o ensino de Língua Portuguesa”, de Terezinha de Conceição Costa Hübes, e “Os gêneros do discurso nas aulas de Língua Portuguesa”, de Rosângela Hammes Rodrigues, por exemplo, são dois bons artigos que auxiliam o estudante ou o professor que estão se iniciando na teoria bakhtiniana e, em particular, no estudo sobre os gêneros.

O artigo “O uso do meio virtual em práticas sociais de leitura e escrita na educação (inicial e continuada) de professores de línguas”, de Vera Lúcia Lopes Cristóvão, traz sugestões muito interessantes que podem enriquecer as aulas de língua a partir do uso de recursos tecnológicos.

E o artigo “A arquitetônica bakhtiniana e os multiletramentos”, de Rosineide Melo e Roxane Rojo, é um artigo surpreendente, que partindo do conceito de arquitetônica, de Bakhtin, amplia-o e atualiza-o analisando as relações enunciativas envolvidas no Facebook. É um artigo que joga luz sobre esse conceito complexo da teoria bakhtiniana e, ao mesmo tempo, sobre esse fenômeno de interações discursivas e sociais, que é o Facebook.

Esses são apenas alguns dos artigos que constituem o livro de Nascimento e Rojo. Leia e descubra todos os outros, que ainda abordam o ensino de língua estrangeira, os gêneros em situação de trabalho educacional, gêneros da esfera acadêmica, etc.

Deixe o seu comentário

Seu email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *