Blog do Cereja


Sunday, 9 de May de 2021 Rss
14 Apr

Nova versão da Base Nacional Comum Curricular

Nova versão da Base Nacional Comum Curricular

Base nacional comum curricular

Professor, prepare-se! Na próxima sexta-feira, dia 15/4, o MEC deve publicar uma nova versão da Base Nacional Comum Curricular. Essa versão deverá ser mais uma vez debatida pelos educadores e pela sociedade até julho deste ano, quando então será lançada a versão definitiva da Base Nacional.

Segundo Manuel Palácios, secretário de Educação Básica, a segunda versão da BNCC trará quatro alterações importantes:

1. Reformulação e flexibilização do ensino médio com organização modular;

2. Clareamento da proposta de Língua Portuguesa;

3. Revisão no conteúdo e proposta de História;

4. Segmentação, em 3 etapas, da educação infantil, com detalhamento dos objetivos para cada uma delas.

Como se nota pelo que foi adiantado pelo MEC, haverá um “clareamento da proposta de língua portuguesa”. Portanto, espera-se que nesta nova versão esteja mais claro para os educadores como lidar com o ensino de gramática no ensino fundamental II ou que gêneros trabalhar nos três segmentos de ensino, entre outros pontos.

Não está claro ainda o que significa a “flexibilização do ensino médio com organização modular”, mas se supõe que haja uma margem de adaptação e de negociação do currículo em cada escola ou município, a fim de adequar melhor o currículo às necessidades, ao perfil e aos interesses dos alunos. Se a ideia é trabalhar livremente com módulos, que podem ser explorados no momento em que a escola quiser, pergunto: como fica a situação dos alunos que mudam de escola ou se mudam para outros Estados? A finalidade da Base, entre outras, não é acabar com essas discrepâncias?

Aguardemos para ver. Organize-se! Leia a nova versão a partir da sexta-feira e reúna-se com seus colegas na escola para debatê-la. O futuro de nossas aulas poderá ser decidido a partir desse documento. Até julho, ainda há tempo para a discussão e para um posicionamento, seja a favor, seja contra. 

 

Deixe o seu comentário

Seu email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *