Blog do Cereja


Monday, 2 de August de 2021 Rss
20 Jan

Poema: Dialogia Pura

DIALOGIA PURA

Divido com vocês este belo poema, enviado pelo professor cearense Sérgio Araújo. Sérgio foi assessor pedagógico de nossas obras durante muitos anos e fez um ótimo trabalho no Ceará, no Piauí e no Maranhão. Hoje, vem atuando como professor universitário em Fortaleza, mas a amizade e o diálogo que nos uniram desde o início perduram.
Com uma abordagem claramente dialógica, no sentido bakhtiniano do termo, Sérgio glosa o poema “Tecendo a manhã”, de João Cabral de Melo Neto, e também lança sua palavra-outro, refletindo e refratando inúmeras outras palavras e outros eus de seu discurso e do discurso do outro. É nesse amálgama discursivo, de vozes e silêncio, que nasce a identidade desse eu, multifacetado, multipalavra, esse eu-outro, composto de si mesmo e de outros eus que, juntos, tecem a manhã-balão. Pura dialogia, pura alteridade!

DES(FORMAL)IZANDO

me importa
meu dito
um grito
d’alma
em fala alerta

dis(penso)
forma única
única forma de sempre estar no sempre mesmo
uma
prisão
cárcere / privação que ninguém vê

vou espargindo versos-frases
palavras-versos
textos em diálogos comigo
e tantas outras vozes que nem sei quando eu

quando o outro e mais outro e mais outro galo ou não por ser semelhante e talvez desigual
claro que já não eu porém tantos eus que já muitos outros em voz de outro que não eles sendo eles também

o que me importa
a palavra que não é silêncio, mas que o tem
o silêncio que guarda a palavra e a ressoa
o sentido
que
seja
direção
e
expressão
(Sérgio Araújo)

Deixe o seu comentário

Seu email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *